TRILHA DO DIA 16/09/2006

Após a chuva forte que caiu na madrugada de sábado, o dia  amanheceu nublado (16/09/2006), mas o Cezar, Bonsenhor e Álvaro estavam muito afim de trilha e às 08:30 hrs já estavam prontos no posto Cupim Cidade.

Everaldo: "Às 09:00 hrs ligamos para o Mikoda e o mesmo nos relatou que estava chovendo naquele momento em seu bairro (Raia) e que não iria para trilha devido as condições climáticas.

Levamos conosco algumas folhas com os nomes de algumas trilhas para identifica-las, pregando-as nas árvores no inicio de cada uma (subida do visual, descida da polenta, trilha da samambaia, trilha do pula-pula e trilha do tobogã).

Ainda pela manhã tivemos que consertar, no Bar do Sr. Daniel (ponto de apoio), o pneu traseiro da minha moto e a tarde consertamos também o pneu dianteiro do Álvaro após uma forte batida de frente numa árvore, amassando inclusive o aro da sua Tornado.

Após o delicioso almoço, que a esposa do Sr. Daniel preparou especialmente para nós, a chuva apertou e em pouco tempo já estávamos complemente molhados. Diante dos fatos aceleramos forte e apesar de estarmos molhados e com frio a trilha estava muito gostosa.

Já no final das trilhas, após termos feito por duas vezes todas as trilhas da Quintilha, inclusive a volta, diante uma chuva forte, acelerei muito para subir a trilha do visual ao contrário e não fui muito feliz na entrada dela e na metade da subida já não tinha mais força nos braços para equilibrar-se sobre minha moto. Acelerei e a moto foi e eu fui rolando morro abaixo. O problema é que a moto ficou presa no meio de duas árvores e tive que pedir ajuda aos meus amigos para sair de lá."

Obs: Durante o conserto do pneu da moto do Álvaro, apareceram por lá, em meio a um temporal, o Láko acompanhado do seu filho e o Rodolfo com sua GasGas de trial que ficou aprimorando suas técnicas nos barrancos em frente do Bar do Sr. Daniel. A nosso pedido o Sr. Daniel preparou um café bem quente acompanhado de pão e filé assado na chapa. Após este delicioso lanchinho e prevendo o forte frio que viria com nossa volta para casa, tivemos até que ensacar nosso corpo com uma sacola plástica.