AVENTURA NO TELÉGRAFO -  09 E 10/02/2008

As equipes de trilheiros e enduristas comandadas pelos "OS COBRAS" da região de Joinville resolveu enfrentar os desafios da centenária trilha do telégrafo. A aventura começou na quinta feira (08/02/08) quando partiram do estado de Santa Catarina 10 quadriciclos e 25 motos, com destino a histórica cidade de Antonina. Às 09:00 hrs de sexta feira os grupos já estavam prontos, no Recanto Cacatu/Antonina, para a largada com destino final a também histórica cidade de Cananéia, já no estado de São Paulo, com percurso total de 140 Km.

 

                                    Foto oficial da largada                                                 Husqvarna sendo depenada em Tagaçaba

A primeira parada foi em Tagaçaba, após 38 Km rodados, onde todos se deliciaram com um maravilhoso café colonial com pão sovado e doce de banana caseiro. A previsão éra de um pit stop de 30 minutos, mas o pessoal acabou ficando foi quase uma hora e meia, pois a moto do Sr. Kaio, uma Husqvarna 125cc zero kilometro, acabou apresentado problemas de ignição, mechânica, palpites e etcs mais (o problema mesmo foi a chaveta da rebinboca)

 

                                    Parada no Batuva                                                                 Trilheiros com mão na bomba

Após o pessoal concluir que o Kaio não teria outra alternativa há não ser voltar para casa, seguimos às 11:00 hr com destino a entrada da trilha. Chegaram no lugarejo denominado de Batuva por volta das 12:00 hr, onde o grupo se compactou para então juntos enfrentarem o pântano do telégrafo. Até este momento todos sorriam sem imaginar o que os esperavam, alguns até subestimavam dizendo: "Vim de Santa Catarina fazer 08 km de trilha e 130 km de estradão, não estou acreditando nisso".

 

                        Moto atolada morre no meio do rio                                                           Trilheiro no 1o. Rio

Já no primeiro rio a porca começou a torcer o rabo, éra piloto caindo de cansaço, moto atolada, suor escorrendo no rosto e alguns já começavam a se perguntar: "O que estou fazendo aqui, porque não fiquei em casa....."

 

                                    Japa de Paranaguá                                                          Cleison segurando a Tornado do amigo

Um dos destaques que agüentou firme foi o "Cleison" que no cansaço do amigos resolveu o problema ele mesmo, puxando motos e quadris para cima dos barrancos, sem desanimar e sempre sorridente tirando um sarro dos amigos dizendo: "vai pitoco...mão na bomba...." e quando seus amigos conseguiam passar na boa ele gritava: "esse é cobra....."

 

                          Quadri em manobras técnicas                                                    Mauri - Trilheiro solitário de Curitiba

No segundo rio o cansaço éra total, todos já estavam além dos limites de suas forças físicas, metais e psicológicas. A chuva que caiu durante todo mês de janeiro e inicio de fevereiro provocou um grande alagamento da trilha, criando uma lama aguada, deixando os obstáculos submersos, dificultando ainda mais a pilotagem.

 

                           Quadri com problemas técnicos                                           Quadri sendo puxado sem forças para subir       

Os quadris sofreram bastante também, mas com a ajuda solidária dos companheiros trilheiros tudo foi se resolvendo. Teve até um 4 x 4 que adentrou um bananal detonando algumas bananeiras, e assim o pessoal foi se divertindo e curtindo o dia com os colegas. Os primeiros a passarem os 8 km leveram 4 hr e num vilarejo logo após a trilha o grupo parou para descansar e aguardar os demais do grupo chegar.

 

            Foto oficial da balsa - chegada em Cananéia                                    Foto oficial na balsa - saída de Cananéia       

Chegaram na balsa de Cananéia às 19:00 hr, já animados quando souberam que do outro lado o Moto Clube Cananéia os aguardavam com uma maravilhosa festa, regada de muita carne, refrigerante e muita cerveja gelada.

 

                       Diretoria do Moto Clube Cananéia                                       Picanha na brasa - prato principal na chegada

Bonsenhor: "Meus comentários são os melhores possíveis, pois conheci muita gente legal como o Capitão Ingo e seus marujos, amizades como estas são para sempre. Pessoal muito unido e divertido, sempre alegres, com muita garra e determinação. Todos estão de parabéns e digo que foi gratificante passar este final de semana na companhia desde pessoal de Joinville. Agradeço muito a recepção do Moto Clube de Cananéia que nos receberam como "REIS", não é querer jogar confete, mas eles foram o máximo. O meu contato durante os 10 dias de preparação foi o "Pipoca" que em conjunto com os demais associados preparam esta fantástica festa, parabéns 1.000.000 de vezes. Tinha até escolta policial da balsa até o hotel. Já no sábado teve gente que não agüentou e voltou pela BR-116 e outras alugaram uma embarcação no Ariri e seguiram com suas motos embarcadas até Guaraqueçaba, tudo isso só para não retornar pela carinhosa e calorosa trilha do telégrafo... hehehehe... brincadeira.... é que o Ingo tinha uma sonho de conhecer o "Canal do Viradouro" que liga Ariri/Guaraqueçaba.... assim alguns aproveitaram a deixa e seguiram na onda do Capitão Ingo. Deixo aqui minha alegria por ter conhecido vcs, parabéns e até a próximo.... hehehehe. Em breve vamos fazer o lançamento do DVD deste evento, fiquem ligado em nosso site para as novidades, pois as imagens ficaram magnificas, mandem tbm um recado em nosso mural. Abraço a todos, fui...." 

Ingo: "Gostaria de em nome do grupo de Joinville que participou da brincadeira, agradecer imensamente pela grande oportunidade que você "BONSENHOR" nos proporcionou, no desafio que foi atravessar aquele trajeto naquelas condições. Além do grande prazer que foi, os trilheiros que completaram o percurso podem ter a honra em colocar no seu curriculum de trilheiro, uma trilha desejada por muitos neste país. Jipeiros já não poderão mais fazê-la e quem sabe e tomara que não, venha até a ser fechada para motos, como ouvimos falar, mas quem fez fez. Ficou a decepção tanto para nós como para o grupo de Cananéia, por não podermos ter brincado lá na ilha comprida. Mas o tempo perdido com moto quebrada, as condições da trilha pela chuva forte na noite anterior, o por alguns trilheiros que não tem preparo físico para trilhas nestas condições, inviabilizou a programação completa. A volta de Ariri para Guaraqueçaba de barco foi coisa de outro mundo. Um dia maravilhoso, visual belíssimo e tudo regado a Itaipavas geladas. Era tudo que um cristão pode pedir a Deus! Além do almoço para Reis em Guaraqueçaba e ainda o banho de rio no final no Cacatú. Temos que agradecer a Deus por ninguém ter se machucado, e também pelo privilégio que temos na vida em poder desfrutar de uma alegria dessas que não tem preço. Um forte abraço de Cananéia e pessoal do Moto Clube Paranaguá, mais uma vez muito obrigado, e vamos manter contato".

 

  Mande vc tbm um e-mail para everaldobonsenhor@gmail.com e deixe aqui um comentário sobre o evento.

 

Quem somos l A diretoria l Fale conosco l Fala presidente l Natal no mato e ilhas
Campanha do agasalho l Trial e trialeiros l Motocross e pilotos l Trilhas e trialheiros
Pista do aeroparque l Pista do marreco l Calendário l Notícias
Classimotos l Galeria de fotos